4 vantagens em ter um acompanhante que tenha um pênis pequeno

Ao contrário do que sugerem alguns clichês de nossa sociedade, ter um cônjuge que tenha um pequeno sexo não é necessariamente sinônimo de uma vida sexual sem entusiasmo. A prova por quatro!

Em termos de sexo, é como tudo: todo mundo é diferente e tem suas preferências . Mas muitas vezes as mulheres podem se confundir com um homem que tem um pênis pequeno . O preconceito é difícil, enquanto, finalmente, a vida sexual de um casal neste caso pode ser tão satisfatória! Se você tem medo de que o falo do seu companheiro não seja grande o suficiente, não há dúvida de que o que está escrito abaixo irá tranquilizá-lo (e ele também!) .

Um pênis pequeno pode ser tão satisfatório

Em nossa sociedade, os grandes sexos, como podemos ver em filmes pornográficos, tendem a ser um símbolo de virilidade. No entanto, não devemos esquecer que esta não é a norma . Alguns pênis podem ser considerados pequenos quando estão próximos da média, 13,12 cm eretos, de acordo com um estudo da BJU International .

Devemos, portanto, fazer a diferença entre o imaginário coletivo e a realidade . Finalmente, até mesmo um falo que parece pequeno pode não ser tanto assim! Especialmente desde que a profundidade da vagina de uma mulher é entre 8 e 12 cm em média. Quando você sabe que ter um “pouco” sexo não é uma desvantagem …

Algumas práticas serão mais fáceis

Para implementar algumas práticas sexuais, ter um sexo com um tamanho abaixo da média pode ser um benefício. Esse é particularmente o caso do sexo oral ou da sodomia . Para o primeiro, evita desconforto se, quando você agir, você percebe que o sexo do seu companheiro é muito grande comparado à sua boca. No caso do segundo, é uma prática muitas vezes dolorosa no começo, e um sexo relativamente pequeno pode finalmente ser reconfortante.

Sua vida sexual é certa apimentar

Algumas mulheres gostam de penetrações profundas, e quando o homem não tem um sexo muito longo, nem sempre é fácil. Se este é o seu caso, felizmente existem posições que permitem, como o andromaque  ou o swing . Cabe a você encontrar os que combinam com você. E o riso descobrindo as posições mais improváveis ​​do kamasutra não deixará de aproximar você! Caso seu parceiro realmente tenha um micro-pênis (com 7 cm de comprimento ereto), existe a opção de brinquedos sexuais. Você pode escolher os modelos que o tentam juntos e aprender a usá-los dois … Links serão criados!

Não deve ser esquecido que a relação sexual não se limita à penetração , e que você também pode levar o seu pé através de preliminares prolongadas.

A retomada do sexo após o parto provavelmente será mais fácil

Com um companheiro que tem um sexo imponente, os relacionamentos já podem ser dolorosos antes de ter um filho, e a maioria das jovens mães tem medo de retomar o sexo depois do parto, porque muitas vezes tem medo da dor. No entanto, no momento do parto, a vagina pode ter sofrido abuso, especialmente se houve episiotomia ou lágrimas , o que só aumenta o risco de dor durante o sexo . Com um homem que tem um sexo pequeno, pode ser mais fácil, mas ainda planeja levar o seu tempo e não hesite em manter um tubo de lubrificante na mão. E acima de tudo, não esqueça de respeitar o período mínimo de quinze dias para evitar infecções.

Conheça 8 fatores que agravam as olheiras

Conheça 8 fatores que agravam as olheiras

Até mesmo o uso errado da maquiagem pode aumentar os círculos escuros abaixo dos seus olhos

Olheiras são um problema comum entre mulheres e homens e que costuma incomodar bastante. Mas antes de lançar mão de toda a gama de corretivos que existem hoje em dia, saiba que entender o que está causando suas olheiras é fundamental para combatê-las e até mesmo evitá-las!

Na maior parte das vezes as olheiras estão ligadas à genética. “Normalmente o paciente tem uma tendência a ter olheira e por conta disso, vai depositando pigmento na região abaixo dos olhos no decorrer da vida, ou apresentando problemas na região”, explica o dermatologista Abdo Salomão, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Dada essa pré-disposição, são diversos os fatores que podem causar as olheiras, mas de um modo geral, ela pode ser classificada em dois tipos: ?uma delas é vascular, quando os vasos sanguíneos ficam visíveis, que normalmente tem a coloração azulada. Já a outra é a pigmentar, quando há acúmulo de melanina na região, e por isso terá a cor marrom”, ensina a dermatologista Tatiana Steiner, especialista pela SBD. Mas é muito comum que as pessoas apresentem esses dois tipos de olheiras misturadas.

Além disso, normalmente a predisposição a ter olheiras é aumentada por alguns fatores e hábitos. Entenda melhor quais são eles e como eles influenciam no problema:

Cansaço e choro

Mulher triste e cansada – Foto: Getty Images
Os momentos em que as olheiras mais dão as caras é depois de uma sessão de choro ou uma noite mal dormida. Em ambos os casos, o escurecimento da região aparece devido a um problema circulatório. “As pálpebras são áreas terminais da face, e por isso ficam com muita vascularização, deixando a pele mais azulada”, sinaliza a dermatologista Mônica Aribi, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

Nesses casos, em que a má circulação é temporária, é possível amenizar as olheiras com alguns cuidados em casa: “É indicado o uso de compressas calmantes com água termal ou chá de camomila. Sempre gelado para ter um efeito anti-inflamatório devido a vasoconstrição”, explica a dermatologista Tatiana Steiner, especialista pela SBD.

Leia também: olheiras ante e depois

Maus hábitos

Mulher cansada e de ressaca – Foto: Getty Images
Hábitos de vida também podem influenciar no aparecimento de olheiras: tabagismo, privação de sono e estresse podem desencadear essas marcas por influenciarem diretamente na circulação do corpo todo, inclusive das pálpebras, dilatando os vasos e fazendo com que mais sangue apareça nessa região.

Nesses casos mais graves, além de usar as compressas três vezes ao dia, tratamentos estéticos podem ser indicados, como cremes anti-inflamatórios com ativos como camomila, arnica, calêndula, alantoína, própolis, bardana e vitamina K1. “A drenagem linfática facial é ótima nesses casos e existem também alguns lasers para o tratamento”, enumera a dermatologista Mônica.

Pele fina

Pele da pálpebra inferior – Foto: Getty Images
Quem tem a pele fininha costuma apresentar olheiras mais ressaltadas. “Esse tipo de pele permite maior visualização dos vasinhos externos das pálpebras. Pessoas mais claras e com excesso de vasos periféricos costumam apresentar este tipo de olheira”, indica Tatiana Steiner. Em geral, uma boa forma de reconhecer isso é através da observação: pessoas com pele mais fina tendem a ficar vermelhas com mais facilidade, por exemplo.

Nesses casos, alguns tipos de tratamento podem ser feitos. Nos casos de pele fina sem flacidez, o ultrassom estético focado pode firmar a área dos olhos, podendo ser feito uma vez ao ano. “Laser infravermelhos ajudam a aumentar a espessura da pele, e podem ser feitos três vezes ao ano”, ensina a dermatologista Mônica.

Flacidez

Mulher idosa, com flacidez nos olhos – Foto: Getty Images
Além disso, é normal que pessoas mais velhas apresentem uma pele mais fina, isso acontece devido às alterações hormonais que ocorrem com a idade, em maior ou menor intensidade. Em geral essa característica também está ligada à flacidez da pele: “o globo ocular sofre um deslocamento dentro da órbita e a gordura infraorbital é deslocada anteriormente, formando uma depressão e sombreado abaixo dele”, descreve Tatiana.

Para quem tem esse problema é possível lançar mão de cremes com diversos tipos de ativos, como:

– Antioxidantes, como as vitaminas A, C e E;

– Agentes de renovação, tais quais o retinol, alfahidroxiacidos, ácido glicólico;

– Agentes tensores, como os ativos raffermine, tensine;

– Fotoproteção solar, que impede a degradação do colágeno na região.

Tratamentos como a radiofrequência também ajudam. Nela, o calor emitido pelo aparelho estimula a formação de colágeno, o que enrijece a pele. O preenchimento com ácido hilaurônico também ajuda: “com essa técnica é possível afastar a pele dos vasos sanguíneos, diminuindo o aspecto escuro”, finaliza a especialista.

Por fim, se a flacidez já estiver muito acentuada, a blefaroplastia, cirurgia plástica das pálpebras, ajuda a colocar a pele da região no lugar, melhorando seu aspecto.

Esfregar os olhos

Mulher esfregando os olhos – Foto: Getty Images
O hábito de esfregar os olhos constantemente aumenta as olheiras e isso ocorre devido a dois mecanismos: primeiro por que o ato irrita a pele da região. “A melanina atua como uma proteção, se acumulando na região afetada”, explica Mônica. Portanto, pessoas que têm tendência genética a acumular melanina na região devem evitar esfregar os olhos com frequência. Nesses casos, o uso de hidratantes e massagens locais ajudam.

Além disso, o hábito de esfregar os olhos com força pode prejudicar a circulação. “O hábito pode acabar congestionando os vasos periféricos, levando à vermelhidão, escurecimento da área, inchaço e até a trauma, dependendo da intensidade”, alerta Tatiana Steiner. Nesses casos, o ideal é usar cremes com ativos para descongestionar e reduzir o edema (como camomila, arnica, calêndula, alantoína, bardana e vitamina K1) e outros que clareiam a região (tais quais a hidroquinona e vitamina C), conforme explica a especialista.

Exposição solar inadequada

Mulher protegendo os olhos do sol – Foto: Getty Images
Pessoas que tem tendência a acumular melanina na região dos olhos podem ter a olheira piorada pela exposição solar sem proteção. “A exposição solar excessiva proporciona o aumento da pigmentação e a diminuição da espessura da pele”, descreve Tatiana. Ou seja, as olheiras aumentam e ficam muito mais visíveis. Além disso, o hábito também ocasiona olheiras vasculares, pois causa a dilatação dos vasos sanguíneos da região.

Nesses casos, o primeiro passo é sempre usar protetor solar no rosto, hábito que não só previne olheiras, como também evita outros problemas de pele, como o envelhecimento e o câncer de pele. Além disso, o uso de cremes com ativos específicos para a região, tanto calmantes quanto clareadores, ajuda bastante a melhorar o aspecto da região. Entre os clareadores, a vitamina C e o ácido azelaico são boas opções.

Maquiagem

Mulher que dormiu de maquiagem – Foto: Getty Images
Não tirar a maquiagem da região dos olhos adequadamente é outro fator que pode aumentar as olheiras. Isso acontece por causa da pigmentação, pois a coloração escura fica na região. “Ocorre também uma desidratação na região, pois a pele fica ‘fechada’ e não permite uma circulação do oxigênio que nutre a pele”, adiciona Mônica Aribi. Por sorte, esse tipo de olheira é temporária, basta limpar melhor a pele da região para que ela se reverta.

Olhos fundos

Mulher com olhos fundos – Foto: Getty Images
A anatomia do rosto também pode favorecer olheiras, ou no caso criar uma ilusão de uma pele mais escura abaixo dos olhos. “A área abaixo dos olhos é mais côncava, portanto quem tem olhos mais profundos apresenta uma sombra na região”, considera a dermatologista Tatiana.

Nesses casos pode parecer que não há solução, mas tem como resolver sim. Um bom truque é usar um corretivo mais claro na região, que vai contrabalancear a sombra da região. A técnica, no entanto, pode evidenciar que a região está mais clara em locais bem iluminados ou ao tirar uma foto com flash, por exemplo.

Uma solução mais eficiente para o problema é a aplicação de ácido hialurônico no local. Ele reduz a profundidade dos olhos, reduzindo a sombra causada. Mas o ideal é que ele seja feito por um dermatologista experiente, para que o resultado fique natural. Além disso, é importante ressaltar que o ácido hialurônico é reabsorvido pela pele com o tempo, portanto, pode ser necessário fazer a aplicação novamente.

Sucos Verdes – Como Fazer e Benefícios para a Saúde Talita

Sucos Verdes – Como Fazer e Benefícios para a Saúde Talita

O suco verde é muito benéfico para a saúde. Pode ser feito de várias maneiras, recebendo esse nome devido à sua coloração esverdeada. Normalmente leva frutas, folhas e / ou legumes e faz muito bem para o organismo.

Ele é um dos sucos detox, que ajuda a eliminar as toxinas do seu corpo. Recomenda-se ingeri-lo preferencialmente pela manhã, para que seu corpo possa absorver todos os nutrientes contidos nele. Para quem quer emagrecer, recomenda-se nunca acrescentar açúcar ou adoçantes.

Navegue Pelo Conteúdo

1 Benefícios
2 Receitas
BENEFÍCIOS

Os benefícios de um copo de suco verde são muitos. Se preferir, você pode alterná-lo com outros sucos detox para não enjoar. Outra opção é congelar pequenas porções do suco concentrado, para ficar mais prático de fazer todos os dias. Mas sempre que puder, opte por frutas e verduras frescas, pois os seus nutrientes podem ser perdidos no processo do congelamento.

Leia também: suco verde em jejum

Veja tudo o que o suco verde pode fazer por você:

Rico em fibras, promove a sensação de saciedade por muito mais tempo e ajudando o intestino a funcionar melhor. Elas também são capazes de tornar mais lenta a digestão da glicose e colesterol.
Desintoxica e limpa o organismo.
Leva frutas, folhas e vegetais. É uma excelente opção para que não costuma comer esses ingredientes no dia a dia. Além de saboroso, traz para mesas a mistura de vários nutrientes.
Ajudam a emagrecer. Dependendo dos ingredientes usados, ele pode até mesmo funcionar como um termogênico.
Não deixa o fígado ficar sobre carregado, graças à sua ação de limpeza.
Ele contribui para cabelos fortes e saudáveis, unhas fortes e pode até mesmo deixar a pele mais bonita.
Melhora ao sono, tem a capacidade de ser energético, fazendo com que você não canse durante o dia e relaxe na hora de dormir.

Leia também: Phytophen bula
Por usas folhas verde-escuro, como espinafre ou couve, ele é rico em antioxidantes que age combatendo os radicais livres.
Ajuda a curar a ressaca e hidratar o corpo.
Pode ajudar a aliviar úlceras no estômago.
RECEITAS
São várias as formas de fazer suco verde. Você pode usar agrião, couve, espinafre e outras folhas verdes para garantir a cor do suco. Veja algumas receitas para fazer ou se inspirar:

Leia também: Kifina bula

SUCO DE LUZ

1/2 pepino com casca cortado em pedaços;
1 maçã com casca e sem sementes cortada em pedaços;
1 pedaço (2 cm) de gengibre sem casca;
1 cenoura com casca;
2 folhas de couve;
1 talo de erva – doce;
1 talo de salsão;
1 salsinha;
1 punhado de hortelã ou capim cidreira;
1 punhado de sementes germinadas de sua preferência;
1 punhado de grama de trigo, pode ser cultivada em casa.
Rende 2 copos médios de aproximadamente 400 ml.

Leia também: Farinha seca barriga bula

LIMÃO E COUVE

Bata no liquidificador:

Suco de 2 limões;
1 folha de couve-manteiga;
água.
ABACAXI E HORTELÃ

1 folha de couve manteiga;
2 fatias grossas de abacaxi;
algumas folhinhas de hortelã.
Outras dicas para fazer o suco verde são:

Se estiver em processo de emagrecimento, não abuse muito das frutas para não tornar o suco muito calórico: escolha no máximo 2 tipos de frutas, optando pelas cítricas ou com menor teor calórico (limão, laranja, maracujá, morango, melancia, maçã, abacaxi);
Você pode bater o suco com água ou água de coco;
Não adoce nem coe;
Utilize frutas e vegetais inteiros quando possível, com casca e tudo;
Use e abuse dos termogênicos: canela, gengibre e chá verde gelado combinam muito bem.

Gel Redutor Hinode – resenha do produto e dúvidas

Gel Redutor Hinode resenha do produto e dúvidas

Olá queridas! Hoje vou falar sobre um dos produtos de beleza mais vendido atualmente. O fabricante está de parabéns, pois o Gel Redutor Hinode é um produto de qualidade comprovada.

Se você está incomodada com aquelas gordurinhas localizadas que mesmo depois de uma alimentação saudável e exercícios físicos insistem em ficar, seus problemas estão resolvidos. Compre o Gel Redutor Hinode e remodele seu corpo em pouco tempo.

Leia também: Farinha seca barriga funciona

Os resultados são ótimos, rápidos e o valor do tratamento é bem menor do que se você fosse para uma academia ou pagasse um tratamento estético para diminuir medidas e modelar o corpo.

Fórmula do Gel Redutor Hinode
A fórmula possui mentol que tem ação refrescante, cânfora que tem ação calmante e cicatrizante e Propilenoglicol, um composto orgânico que possui ação hidratante.

Estes três compostos juntos promovem a Crioterapia onde, ao passar na pele, o calor vai embora e ocorre resfriamento. O gel também melhora a vasodilatação periférica, ativa a drenagem das toxinas, ajuda a dar maior firmeza aos tecidos da pele e melhora sensivelmente a flacidez.

Leia também: comprar Womax Gel Lipo

O Gel Redutor Hinode é muito fácil de aplicar também é de fácil absorção e é ideal para realização de tratamentos estéticos com massagens no local objetivando a modelação corporal e a redução de medidas.

Leia também: Kifina funciona

Posso usar plástico filme?
Muita gente tem essa dúvida, pois vários produtos são usados dessa forma, mas preste atenção: Não deve-se utilizar o plástico filme ou qualquer outra coisa depois que aplicar o gel redutor de medidas.

Leia também: Phytophen funciona

O indicado é usar um esfoliante no local da aplicação e logo depois passar o gel. Entenda que como o tratamento é à base do resfriamento local, o uso de plástico filme ou qualquer coisa que aqueça acaba interferindo negativamente na ação do gel.

Se você ainda não se convenceu que o uso de plástico filme é prejudicial, saiba que o mesmo pode causar lesões na pele como, por exemplo, queimaduras. O plástico é apenas para uso com os géis tradicionais, não para o Gel Redutor Hinode.

Como usar o Gel Redutor Hinode
O modo de usar vai depender diretamente da área do corpo. Cada local exige uma quantidade diferente do produto e uma forma de massagear. O produto pode ser utilizado sem massagem, mas o ato de massagear aumenta a potência do gel e melhora os resultados que chegam mais rápido.

Veja agora como aplicar o gel em cada parte do corpo.
Barriga: massagem circular em sentido horário.

Pernas: Movimentos circulares amplos e ascendentes.

Braços: Movimentos circulares e também ascendentes.

Bumbum: Movimentos de levantamento e circulares.

Seios: Movimentos de levantamento, circulares com baixa amplitude e bastante delicadeza. Evite passar o Gel Redutor Hinode nas aureolas.

Costas: Movimentos de baixo para cima, movimentos circulares como se esfregasse as costas com uma esponja.

Recomenda-se também que haja a prática de exercícios físicos após a aplicação do Gel Redutor Hinode. Não é uma obrigação, mas os testes confirmaram que com essa prática os resultados são muito melhores e vêm de forma mais rápida.

Gel Redutor Hinode: Guia Completo do Gel Corps Redutor de Medidas

O produto Corps Lignea – Gel Massageador Refrescante da Hinode, conhecido popularmente por Gel Redutor Hinode, é um dos produtos mais vendidos pela empresa e foi desenvolvido para auxiliar na queima de gorduras localizada, tratar flacidez, celulite e estrias.

Leia também: Phytophen funciona

Como o gel redutor hinode funciona?
O gel corps Hinode faz o processo de crioterapia, ou seja seu efeito crioterápico provoca a vasoconstrição superficial (frio), elevando a vasodilatação profunda (calor). Ao resfriar o local, o corpo aumenta a taxa metabólica com o intuito de gerar energia, o que é chamado de ação termogênica. Neste momento haverá a combustão dos lipídios que tentarão compensar o frio com a queima de gordura, o que desencadeia uma reação termodinâmica responsável por gerar calor.

Leia também: Kifina funciona

Características e benefícios do gel massageador Hinode
Contém Cânfora que melhora a vasodilatação periférica;
Contém Mentol que produz sensação de frescor;
A combinação sinérgica da cânfora com o mentol produzem uma agradável sensação de calor e frescor ao mesmo tempo;
Auxilia na firmeza da pele;
Ativa a drenagem de toxinas;
Fórmula de fácil espalhamento, ideal para trabalhos estéticos no combate de gordura localizada, flacidez, nódulos celulíticos e remodelação corporal, sem o uso de massagem vigorosa.

Leia também: Womax Gel Lipo funciona

Como usar o gel redutor Hinode
Apesar de ser um produto de fácil uso e aplicação, alguns cuidados são importantes na hora de usar o gel redutor Hinode. Confira o passo a passo detalhado e obtenha os melhores resultados:

Passo 1: limpar a pele da região que receberá o gel;
Passo 2: aplicar uma fina camada na região a ser tratada;
Passo 3: massagear suavemente a pele. Para cada região um tipo de movimento. Na região abdominal, deve-se fazer movimentos circulares, enquanto que nas coxas e antebraços, o movimento precisa ser de baixo par cima;


Leia também: Farinha seca barriga funciona
Recomendações especiais
Deixe agir por 30 minutos;
O Gel Redutor de medidas Hinode pode ser usado diariamente, podendo ser aplicado até duas vezes ao dia;
Logo após a aplicação, faça exercícios físicos e caminhada;
Informação importante
Não use manta térmica durante o uso do gel redutor Hinode;
Não faça uso do produto durante a lactação;
Resultados obtidos com o gel redutor
Clinicamente e dermatologicamente testado, o uso contínuo do gel redutor Hinode traz resultados super satisfatórios. Estudos clínicos revelaram que:

Hanseníase é tema de curso do Ministério da Saúde

No mês em que é celebrado o Dia Mundial de Luta Contra à Hanseníase, com Mobilização Nacional a ser iniciada em 31 de janeiro, o Ministério da Saúde oferece o curso Hanseníase na Atenção Básica.

18 de janeiro de 2018 às 11:40 – Ascom SE/UNA-SUS

No mês em que é celebrado o Dia Mundial de Luta Contra à Hanseníase, com Mobilização Nacional a ser iniciada em 31 de janeiro, o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Executiva da UNA-SUS e Secretaria de Vigilância à Saúde (SVS), oferece o curso online EAD – Hanseníase na Atenção Básica. Com novo ciclo de matrículas iniciado em 08/01 e disponível até 29/06/2018, alunos desta turma podem finalizar o curso até 29/07/18. O curso tem como objetivo capacitar os profissionais para atendimento as pessoas acometidas pela hanseníase, especialmente os que atuam na Atenção Primária. O público-alvo são os profissionais da saúde de todo país, contudo, o curso é livre para demais interessados.

Para saber mais e se matricular, acesse o link. O início é imediato.

A formação possui carga horária de 45 horas, certificação emitida pela Secretaria de Vigilância à Saúde e é dividida em três unidades: Vigilância, Diagnóstico e Acompanhamento da Hanseníase na Atenção Básica. Os casos clínicos são transversais, abrangendo e integrando os aspectos de controle da doença.

Leia também: comprar Fórmula negócio online

Lançado em outubro de 2014, com sete turmas já ofertadas, o curso teve mais de 67 mil inscritos. Entre os perfis profissionais que mais buscam a capacitação 36% são enfermeiros; 29% são técnicos de enfermagem e 9%, médicos. A maioria dos inscritos atua em Centros e Unidades Básicas de Saúde (50%); Hospitais Gerais (20%) e Secretarias de Saúde (5%). Os estados com maior número de matrículas são: São Paulo (5.922); Minas Gerais (4.884); Ceará (4.759) e Bahia (4.087).

O curso é dinâmico e utiliza metodologia diversificada. Além dos casos clínicos, que simulam situações comuns no cotidiano das unidades de saúde, são oferecidas vídeo-aulas com explicações de especialistas, além de vídeos de apoio com dramatizações que tratam do tema da vídeo-aula. São também utilizados hipertextos, caixas de ajuda e glossário para que se possa aprofundar os conhecimentos de termos técnicos.

“O curso é de extrema importância, pois o enfrentamento da hanseníase é de grande relevância para a saúde pública do Brasil. A oferta de uma capacitação gratuita e de acesso aberto irá contribuir para um atendimento qualificado as pessoas acometidas pela doença”, ressalta o Secretário Executivo da Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS), Manoel Barral Netto.

LUTA CONTRA HANSENÍASE – O Ministério da Saúde promove anualmente a Campanha do Dia Mundial de Luta Contra a Hanseníase junto aos estados, municípios, instituições parceiras, movimentos sociais e sociedade civil. Esta ação tem como objetivo alertar sobre os sinais e sintomas da doença, estimular a procura pelos serviços de saúde em caso de suspeita, mobilizar a busca ativa de casos novos e o exame dos contatos pelos profissionais de saúde, favorecendo assim o diagnóstico precoce, tratamento oportuno, bem como o enfrentamento do estigma e discriminação.

Para o ano de 2018, com o slogan: Hanseníase. Identificou.Tratou. Curou, a Campanha objetiva alcançar toda a população, bem como, profissionais de saúde. Entretanto, terá como público prioritário homens na faixa etária de 20 a 49 anos, considerando esta uma importante parcela da população com alto risco de adoecimento. Também deve ser dada atenção especial aos homens com 60 ou mais anos de idade, por se tratar de um grupo com alto risco de detecção e de acometimento pelas incapacidades físicas devido a hanseníase.

Para alcançar essa população masculina, os profissionais de saúde serão fundamentais, bem como a busca ativa de casos novos aos espaços de convivência do homem (ambiente domiciliar e social).

Nesse contexto, as áreas da Secretaria de Vigilância em Saúde (Coordenação-Geral de Hanseníase e Doenças em Eliminação e Coordenador-Geral da Regulação e Gestão da Provisão de Profissionais da Saúde), da Secretaria de Atenção à Saúde (Coordenação-Geral de Gestão da Atenção Básica, Coordenação Nacional de Saúde do Homem e Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa) e a Secretaria Executiva da UNA-SUS unem esforços voltados à mobilização dos profissionais de saúde para a realização da capacitação à distância por meio do curso EAD, bem como para a adesão às ações propostas pela Campanha, contribuindo assim para o avanço na redução da carga da doença no país.

A HANSENÍASE – A Hanseníase é uma doença crônica, transmissível, de notificação compulsória, que possui como agente etiológico o Mycobacterium leprae. Atinge principalmente a pele e nervos periféricos, podendo apresentar surtos reacionais intercorrentes, o que lhe confere alto poder de causar incapacidades e deformidades físicas, principais responsáveis pelo estigma e preconceito que permeiam a doença.

A transmissão se dá pelas vias áreas superiores (tosse ou espirro), de uma pessoa doente sem tratamento, para outra, após um período de contato prolongado e contínuo. Portanto, é prioridade o exame de todas as pessoas que convivem ou conviveram com o caso de hanseníase nos últimos anos, como forma de diagnosticar precocemente, prevenir as incapacidades físicas e interromper a cadeia de transmissão da doença.

A hanseníase tem cura e seu tratamento é gratuitamente ofertado pelo SUS, disponível nas unidades públicas de saúde de todo o país. É feito por via oral, com a Poliquimioterapia (PQT), uma associação de três antibióticos. Os medicamentos são seguros e eficazes. O paciente deve tomar a primeira dose mensal supervisionada pelo profissional de saúde e as demais, auto-administradas. Ainda no início do tratamento, a doença deixa de ser transmitida.

Além da realização do exame dermatoneurológico e avaliação neurológica simplificada, o paciente deve ser também orientado quanto às práticas simples do autocuidado com olhos, mãos e pés, que podem ser realizadas regularmente no seu domicílio e/ou em outros ambientes. O autocuidado melhora a qualidade de vida e autoestima da pessoa com hanseníase.

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA DOENÇA – A doença exibe distribuição heterogênea no país, com registro de casos novos em todas as Unidades Federadas, com maior concentração de casos nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

O Boletim Epidemiológico Mundial, publicado em setembro de 2017 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), informa que 143 países e territórios reportaram casos da hanseníase em 2016. Do total de 214.783 casos novos informados, o Brasil ocupou a segunda posição com 25.218 (11,7%) e a Índia a primeira, com 135.485 (63%) casos novos da doença.

Em 2016, 2.885 municípios diagnosticaram casos novos de hanseníase no Brasil. Desses, 591 municípios diagnosticaram casos em menores de 15 anos, sinalizando focos de infecção ativos e transmissão recente. O país registrou 25.218 casos novos da doença, com taxa de detecção de 12,23 por 100.00 habitantes (alta edemicidade). Do total de casos novos registrados, 1.696 (6,72%) foram diagnosticados em menores de 15 anos e 7.257 (28,8%) iniciaram tratamento com alguma incapacidade física.

Apesar disso, como resultado das ações voltadas para o controle da transmissão da doença, entre 2007 e 2016, a taxa de detecção reduziu 42,28%, o que corresponde a redução de 40.126 para 25.218 casos novos nesse período.

Quanto à distribuição por sexo e faixa etária, do total de casos novos registrados no Brasil em 2016, 13.686 (54,2%) foram na população masculina. Desses, 6.233 (45,5%) casos foram registrados na faixa etária de 20 a 49 anos de idade e, 3.422 (25%), na faixa etária de 60 anos ou mais.

Em abril de 2016 a Organização Mundial da Saúde (OMS), lançou a Estratégia Global para Enfrentamento da Hanseníase 2016-2020, com o objetivo de reduzir ainda mais a carga da doença no âmbito global e local, além de aperfeiçoar ações conjuntas e aprimorar esforços para abordar os desafios enfrentados tanto na área da assistência quanto nos aspectos humanos e sociais que acometem o controle da hanseníase.

Colágeno: emagrece, deixa a pele firme e protege os ossos

O sucesso do colágeno hidrolisado não é de hoje. Há pelo menos três anos ele conquistou o público feminino com a promessa de firmar a pele e amenizar a fome. De lá para cá, a procura por essa substância – até então encontrada apenas em cápsula, sachê e bala manipulada -, triplicou. E, para acompanhar a demanda, as opções de produtos prontos com colágeno hidrolisado também aumentaram bastante. É só dar uma olhada na prateleira das farmácias e supermercados: além de balas e bombons de diferentes formatos, ele pode ser encontrado em águas aromatizadas, barrinha de cereais e até granola.

E as mulheres, claro, são as maiores consumidoras. Mas será que funciona mesmo? Ainda há poucas pesquisas científicas sobre o assunto, mas a maioria delas afirma que, sim, o colágeno ajuda a combater os quilinhos extras e a adiar o envelhecimento precoce.

O segredo dessa substância está no fato de ser uma proteína que o próprio organismo é capaz de produzir. Uma de suas principais funções é formar as fibras que dão sustentação à pele. Cabelo, unhas, ossos e cartilagens (tecidos que amortecem as articulações) também são beneficiados. Ou seja, ela garante que o corpo funcione bem por dentro e fique bonito por fora.

Confira também: Quer reforçar seu colágeno? Vá de chá de hibisco e vitamina C

Porém, pesquisas mostram que, a partir dos 30 anos, mesmo com uma alimentação balanceada, há uma perda anual em torno de 1%. Dos 50 anos em diante, a queda é bem mais drástica. A produção de colágeno cai para apenas 35%, em média. “O que as mulheres mais sentem é a redução da elasticidade e a hidratação da pele”, alerta a nutricionista Tatiana Pimentel, de Santos (SP). Daí para aparecer rugas, celulite e flacidez é um pulo. É por isso que muitos nutricionistas, nutrólogos e dermatologistas consideram a suplementação com o colágeno hidrolisado importante a partir dos 30 anos e essencial depois dos 50.

Colágeno na dose certa
Extraído do osso e da cartilagem do boi, o colágeno presente nos suplementos deve ser hidrolisado – ou seja, passar pelo processo de hidrólise (quebra pela água das moléculas de proteína) para que possa ser absorvido facilmente pelo organismo. Nesse formato, ele é considerado alimento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, portanto, você pode comprá-lo sem prescrição médica.

Mas, para obter os efeitos esperados, precisa acertar na dose. Em uma avaliação da Clínica Medcin Instituto da Pele, em São Paulo, os pesquisadores observaram que o consumo de 5 gramas de colágeno por dia, durante seis meses, foi capaz de melhorar a pele das pacientes entre 35 e 60 anos. Houve um aumento de 5,5% na firmeza e 10% na elasticidade. Mas a maioria dos especialistas recomenda uma dose um pouco maior: de 8 a 10 gramas de colágeno por dia.

Amigo da perda de peso
Quem está na faixa dos 20 pode ficar tranquila: ainda não é hora de aderir a doses extras dessa proteína. Uma dieta caprichada em alimentos que estimulam o organismo a produzir colágeno é suficiente.

Agora, se você vive estressada, fuma, abusa do sol e dos doces, ele começa a falhar mais cedo. Resultado: “A elasticidade da pele fica comprometida, surgindo flacidez e até estrias”, diz a dermatologista Carmem Durazzo, da Clínica Cliniderm, em São Paulo. E, sozinha, a dieta pode não dar conta. A suplementação pode ser indicada antes dos 30 anos para auxiliar na perda de peso, pois ameniza e adia a fome.

E mais: Colágeno: por que o suplemento é bom para a saúde e ajuda no esporte

“Diluído na água ou no suco, o colágeno em pó preenche o estômago rapidamente e faz com que o processo de esvaziamento aconteça mais devagar, prolongando a sensação de saciedade”, explica a nutricionista Sheila Mustafá, da Clínica Sheila Mustafá Nutrição e Estética, em São Paulo. Com isso, você consome menos calorias e emagrece e, ainda, diminui o risco de ficar flácida.

“O colágeno ajuda a manter a pele hidratada, melhorando a qualidade das fibras de sustentação”, complementa Sheila. Se você tiver oportunidade, consulte um profissional que possa prescrever o suplemento de acordo com suas necessidades. O resultado, com certeza, vai ser ainda melhor!

Dieta com colágeno
O suplemento não diminui a importância de uma dieta rica em alimentos que estimulam a produção de colágeno no organismo. Essa lista inclui carne magra, frango, peixe e ovo (especialmente a clara). Invista também em legumes, verduras, frutas e castanhas. “Eles têm os nutrientes (vitaminas A, C e E, selênio e zinco) que garantem a absorção do colágeno”, avisa o nutrólogo Mohamad Barakat, de São Paulo.

Leia também: Fascia bula

E a gelatina de caixinha? A proteína usada na composição não é hidrolisada (ou seja, é difícil de ser absorvida). Mas não deixa de ser uma boa opção de sobremesa leve. Apenas tenha o cuidado de escolher um tipo sem corantes artificiais, pois são substâncias que prejudicam a pele.

Bom para quem malha
Se você malha, tem mais um bom motivo para adotar o suplemento: ele é aliado das articulações. Em 2006, durante o encontro do American College of Sports Medicine, em Indianápolis, nos Estados Unidos, a apresentação de um estudo alemão com 100 atletas, de 15 a 80 anos, mostrou que o consumo de colágeno hidrolisado traz uma melhora importante nas articulações. Após 12 semanas consumindo 10 gramas do suplemento por dia, 79% dos participantes apresentaram maior mobilidade dos joelhos e dos quadris. A maioria relatou menos dor nessas articulações ao realizar exercícios de esforço e ao subir escada. Uma parte dos atletas também teve menos desconforto nos ombros.

Leia também: Skin renov é bom

Diferentes formas do suplemento
Sachê: é a versão mais indicada para diminuir a fome e prolongar a saciedade. O conteúdo de um sachê costuma ter o colágeno hidrolisado na dose diária recomendada – ou seja, de 8 a 10 gramas. Há ainda a opção de você mandar manipular o pó, que pode ser diluído na água, no suco ou no iogurte.

Cápsula: atende a quem não gosta do sabor adocicado do pó. Mas, para atingir a dose diária, você tem de consumir de 10 a 12 cápsulas por dia. E não traz a mesma saciedade da primeira versão.

Água aromatizada: algumas marcas concentram na garrafinha, geralmente entre 300 e 360 mililitros, a dose diária recomendada de 10 gramas de colágeno.

Bala: essa opção costuma oferecer em torno de 1,5 grama de colágeno por unidade. É bem pouco, mas vale para complementar o consumo diário da proteína. A bala também tem a vantagem de estimular a mastigação, além de enganar a vontade de comer um docinho.

Bombom: assim como a bala, tem pouco colágeno. Consuma-o como opção de um docinho que traz um benefício extra.

Granola, barra de cereais & cia.: optar por esses produtos também ajuda a complementar a dose diária de colágeno. Mas cuidado com os produtos carregados de açúcar e corantes – substâncias com fama de prejudicar a qualidade da pele.

Nas prateleiras
1. Gelamin Beauté, Advanced Nutrition


(Divulgação/Divulgação)

Colágeno hidrolisado em pó. O sachê (10 g) oferece 8 g da proteína, além de vitaminas D e E, biotina, cobre, selênio, zinco e manganês. Nos sabores laranja, tangerina e limão. R$ 76,49 na Centauro.

2. Colágeno, Sunnutrition


(Divulgação/Divulgação)

Cápsula com 650 mg de colágeno hidrolisado. O fabricante sugere duas unidades, quatro vezes ao dia. Pote com 120 cápsulas. R$ R$ 38,68 na Onofre.

3. Gelavita, Sanavita


(Divulgação/Divulgação)

Primeira gelatina de colágeno hidrolisado do mercado. Uma colher de sopa (10 g, a porção para o preparo de uma tacinha), contém 4,5 da proteína. Os corantes e aromatizantes são naturais. Nos sabores frutas amarelas e frutas vermelhas. O pote de 200 g rende 20 porções.

Saiba qual é o melhor tratamento para o terçol

O problema é conhecido e existem várias crendices em torno do terçol ou hordeólo, também conhecido como viuvinha ou dordolho. Trata-se de uma inflamação que pode atingir a pálpebra ou o folículo piloso do cílio. A doença não é contagiosa e não oferece riscos a visão.

Segundo o médico oftalmologista Luiz Liarte do Hospital de Olhos de São Paulo, o terçol surge devido a uma inflamação das glândulas que ficam na margem palpebral ou no próprio folículo piloso.

O terçol assemelha-se a uma espinha e, geralmente, drena espontaneamente com compressas mornas. “A compressa ajuda a dilatar as glândulas e a expelir o pus”, completa o oftalmologista Liarte. Ele também recomenda a alternância de compressas mornas e geladas para diminuir o inchaço e a vermelhidão do rosto ou da região do olho atingido.

Quando o terçol não drena dentro de uma ou duas semanas é preciso intervenção cirúrgica. “Nesse caso o terçol endurece e se transforma no que chamamos de calázio. Quando isso ocorre é preciso fazer uma pequena cirurgia para remover o conteúdo”, explica Liarte.

De acordo com o coordenador do curso de especialização em oftalmologia do Instituto CEMA de Oftalmologia e Otorrinolaringologia, Omar Assae, de São Paulo, um terçol que não é tratado adequadamente pode causar uma celulite, ou seja, em uma infecção no tecido da pálpebra.

Leia também: Terçol prevenção

O médico também destaca que não se deve furar ou espremer o terçol. “Não se deve colocar a mão. O terçol não é uma espinha. Se fizer isso pode gerar uma infecção que precisa ser tratada com antibióticos”, alerta.

Já as conhecidas simpatias para curar “viuvinha”, de certa forma tem fundamento, no caso daquelas que propôem calor local, como a de encostar uma aliança quente no terçol. “O calor local ajuda a eliminar o terçol, mas para isso, recomendamos a compressa”, diz Assae.

Causas
Segundo os médicos o hordéolo, popularmente conhecido como terçol, pode ser causado por excesso de secreção produzida pelas glândulas da pálpebra e por bactérias existentes na pele.

“Ás vezes o terçol tem relação com a blefarite, que aumenta a oleosidade e forma uma espécie de caspa nos cílios. Para prevenir, recomendo a lavagem com xampu Jonhson infantil e água morna”, ensina o oftalmologista Luiz Liarte.

Maquiagem nos olhos, sem a limpeza adequada, também podem ser responsáveis pelo surgimento do terçol.

Tratamento
Os médicos recomendam compressas mornas para drenar o terçol. Segundo o oftalmologista Omar Assae pomadas e colírios também são utilizados.

“Quando há muito inchaço o ideal é procurar um especialista para poder avaliar o quadro”, indica Assae.

Dor articular noturna: causas e remédios

Exercícios de alongamento são uma maneira muito eficaz de reduzir a dor noturna causada pela artrite. Se a dor bater em suas mãos, você pode tricotar para mover seus dedos .

Se você sofre de artrite, certamente passou mais de uma noite em branco sem conseguir adormecer por causa da dor. É um incômodo muito comum e uma das causas da insônia. Mas por que a dor nas articulações noturnas aparece? E acima de tudo, existem maneiras eficazes de combatê-lo ?

Primeiro de tudo, deve ser entendido que geralmente não há solução para a artrite . Como a Arthritis Foundation também diz , existem tratamentos eficazes para aliviar a dor e aumentar a qualidade de vida do paciente , mas infelizmente é uma doença irreversível.

Se você quer acabar com as dores articulares conheça o produto chamado Regenemax.

Para melhorar dia após dia e, acima de tudo, para aliviar a dor nas articulações noturnas, essas dicas serão muito úteis . Tome notas.

Por que a dor nas articulações é mais intensa à noite?

Atividades diárias

Durante o dia você está em movimento, pega objetos diferentes, usa as escadas, move … Tudo isso “aquece” as articulações e, mesmo que você sinta algum aborrecimento e dor, é à noite e quando você para de se mover a dor se torna mais intensa .

Fraqueza adrenal

Talvez você já tenha ouvido falar sobre a fadiga adrenal , também conhecida como fadiga crônica . Tem a ver com as glândulas supra-renais e com uma estimulação do sistema nervoso que causa dor, fadiga, ansiedade, insônia, impaciência …

Esse mal, por sua vez, está ligado ao fato de que, à noite, a dor se intensifica . A artrite é uma  dor crônica que afeta principalmente as mulheres . Aqui estão alguns remédios naturais para aliviá-lo.

Estresse

Se durante o dia você tiver enfrentado situações cheias de pressão, preocupação, ansiedade e estresse que não tenha tratado corretamente, os níveis de cortisol no sangue aumentam .

poder

Como você sabe, existem certos componentes da alimentação diária que podem inflamar o corpo e até mesmo provocar um acúmulo de toxinas no corpo .

Uma das causas da artrite é a infecção causada por certos agentes externos que entram no corpo e que também enfraquecem o sistema imunológico .

Por esse motivo, uma dieta pouco saudável, rica em gorduras ou açúcares processados, só aumentará a inflamação e a dor , especialmente no final do dia.

Vida sedentária e quietude

Quando você passa o dia no sofá ou pensa que você não move a articulação durante todo o dia, é provável que a dor da noite seja insuportável .

Como vem? Quando as articulações estão paradas, elas endurecem e ficam duras. Com um pouco de alongamento pela manhã e à noite, no entanto, você será capaz de reduzir a dor . Vale a pena, acredite!

Conselhos para combater a dor nas articulações noturnas

1. Tome uma dieta mais saudável

Embora a artrite seja causada por vários fatores, uma forma de aumentar a qualidade de vida é melhorando a dieta .

Uma dieta saudável irá melhorar a reconstrução da cartilagem, a nutrição óssea e a prevenção da inflamação .

Remédios simples como beber uma infusão de gengibre todos os dias ou escolher frutas e produtos frescos em vez de refeições prontas, são hábitos básicos para se ter em mente. E eles podem ajudá-lo a aliviar a dor nas articulações noturnas.

Aqui estão os melhores ingredientes :

  • Salmão
  • Truta
  • O abacate.
  • A geleia
  • Sementes de linho.
  • Azeite de oliva.
  • Cenouras
  • Pimentas
  • Tomates
  • As alcachofras.
  • O limão.
  • Toranja
  • O abacaxi.
  • O mamão.
  • Morangos
  • Mirtilos
  • As uvas pretas.
  • Cerveja
  • Ameixas
  • As nozes.
  • Avelãs
  • Amêndoas
  • Chocolate escuro.
  • Gengibre.
  • Cúrcuma.
  • Alho.
  • Brócolis.
  • Couve de Bruxelas.
  • Espinafre.
  • A gema de ovo.
  • Arroz integral
  • Cereais enriquecidos com vitamina D.

10 dicas para evitar as varizes

Certamente não há mulher que não tema o aparecimento delas. Por isso, saber como evitar varizes e o que as causam é muito importante. Além da questão estética, os vasinhos podem causar pressões e dores nas pernas.

A culpa, na maioria dos casos, acaba ficando para a hereditariedade. Esse fator pode sim influenciar, mas existem diversas formas para driblar os problemas dos antepassados e prevenir as varizes. O cirurgião vascular Caio Focássio, da Clínica Vivere, de São Paulo (SP), e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular listou as 10 principais dicas para quem quer manter as pernas longe dos vasinhos.

Leia também: Varicell funciona

Dicas de como evitar varizes:
1. Use salto alto só quando precisar dele

O problema não é o salto, mas sim ficar longos períodos com esse calçado nos pés. Ir e voltar do trabalho com uma sapatilha, por exemplo, e só calçá-lo enquanto trabalha já ajuda na prevenção das varizes.

2. Corra

A atividade física, principalmente a aeróbia (como corrida e caminhada), é extremamente recomendada para manter-se longe das varizes. Isso porque o exercício ajuda na circulação sanguínea.

3. Cuidado com a pílula anticoncepcional

Antes de começar o tratamento é importante a mulher consultar o seu médico. Já que pílulas a base de estrogênio podem contribuir com a distensão venosa e consequentemente aumentar o risco de doenças nesse território como aparecimento de varizes e trombose.

4. Movimente-se ao longo do dia

Ficar na mesma posição durante muito tempo prejudica o retorno venoso nas pernas. A cada uma ou duas horas, levante e ande um pouco, para ajudar o sangue fluir melhor e não ficar “estacionado” nas veias.

5. Deite com as pernas levemente elevadas

Não precisa ser necessariamente todo dia, mas algumas vezes na semana. Isso faz com que melhore o retorno venoso, fazendo com que a circulação da perna seja beneficiada.

6. Evite o excesso de peso

O acúmulo de gordura é um fator de risco para varizes. Manter o peso ideal é essencial – não só para evitar as varizes, mas também para manter a saúde em dia.

7. Não fume

O tabagismo, além de comprometer todo o organismo, aumenta a viscosidade sanguínea que é um dos responsáveis pela trombose venosa e tromboflebites que em futuro próximo podem gerar varizes.

8.Cuidado com os excessos na musculação

Aparentemente em um treino de hipertrofia com excesso de carga pode causar a hipertensão venosa. Por isso, o ideal, para prevenir as varizes, é usar pouca carga com mais repetições.

9. Esforço do apertado pode valer a pena

As meias elásticas ajudam muito no retorno venoso da grande maioria da população que não tem contra-indicação, procure seu médico para lhe prescrever a correta e previna-se das indesejáveis varizes.