Distúrbios sexuais masculinos que quebram o casal

Sexo não é tudo, mas … quando a vida sexual é insatisfatória ou completamente ausente, em 20% dos casos ” o casal irrompe” . A sexualidade moderna, preocupada em ter que fazer o bem a todo custo, não ajuda a superar medos e inseguranças, especialmente do homem moderno, que pode levar, se não for adequadamente tratado, ao aparecimento de verdadeiros distúrbios sexuais.

A ejaculação precoce e a disfunção erétil são os problemas masculinos mais frequentes que podem comprometer uma vida sexual satisfatória.

Na época em que o bombardeio de estímulos eróticos é a ordem do dia, os homens com esses distúrbios experimentam uma espécie de fracasso pessoal que, de fato, se reflete na relação do casal e na capacidade de ter filhos, a ponto de ter que abordar técnicas de reprodução assistida.

Mesmo que “in primis” você possa contar com o médico, pelo menos para um primeiro conselho, é bom entrar em contato com um especialista competente: andrologista e / ou sexólogo.

Na maioria dos casos, aqueles que sofrem de distúrbios sexuais nem mesmo confiam em sua família ou amigos, seja por medo de julgamento ou por medo de uma possível revelação de alguns aspectos sensíveis de sua intimidade.

A ejaculação precoce é a disfunção sexual masculina mais frequente, uma doença real, muitas vezes subdiagnosticada e maltratada, que na maioria dos casos tem origem congênita e, portanto, se manifesta nos primeiros relatos. Menos freqüente é o início tardio, em homens que até 50-60 anos não tinham apresentado nenhum problema até que outras doenças ocorressem que trouxessem esse distúrbio muito penalizante. Um suporte válido pode vir de um novo medicamento, em formulação spray, agora também disponível em farmácias italianas. O spray é composto por dois anestésicos locais, a lidocaína e a prilocaína, que bloqueiam temporariamente a transmissão dos impulsos nervosos na glande., reduz sua sensibilidade e de fato causa um atraso na ejaculação. 3 sprays são suficientes, com efeito após 5 minutos. A eficácia manifesta-se graças ao rigor extremo da formulação que garante a penetração dos ingredientes ativos nas camadas mucosas da glande.

Se você esta atrás de algum blog de impotência, eu tenho um perfeito para te indicar, ele se chama blog da cis.

Com a idade também aumenta a frequência de disfunção eréctil (DE), um distúrbio que na Itália afeta mais de 3 milhões de pessoas e é muitas vezes relacionada com a parceria vaginismo em apuros. Estresse, ansiedade e depressão também podem promover seu início, pois causam hiperatividade no sistema nervoso adrenocortical. A condição particular é chamado de ansiedade de desempenho, mais comum em pessoas jovens a sua primeira experiência, incluindo aqueles que iniciar um novo relacionamento e aqueles que falharam em situações anteriores. Quando os resultados a partir de factores psicológicos, o tratamento mais adequado é o aconselhamento psicossexual, embora este suporte terapêutico podem também ser benéficos no caso de ED orgânico, para aliviar a sensação de ansiedade que inevitavelmente exacerba o distúrbio.

A causa orgânica mais comum é vascular, ligada à idade, diabetes, excesso de colesterol e tabagismo. A terapia medicamentosa com inibidores da PDE5, cujo progenitor é o famoso Viagra, atua aumentando o suprimento sanguíneo para o pênis, favorecendo uma ereção mais rígida e duradoura. Esse efeito não é, no entanto, mecânico-automático, uma vez que pressupõe não apenas um desejo sexual normal, mas também uma estimulação erótica adequada.

No entanto, é um remédio sintomático e não curativo, por isso deve ser tomado durante a natural-durante e é contra-indicado em cardiopatas que tomam medicamentos anti-angina. Além disso, em 30% dos homens, o resultado é insatisfatório.

TRATAMENTO DA DISFUNÇÃO ERÉTIL EM BH (OU IMPOTÊNCIA SEXUAL / DIFICULDADE DE EREÇÃO)

TRATAMENTO DA DISFUNÇÃO ERÉTIL EM BH

A Disfunção Erétil (DE) / Impotência Sexual é a incapacidade persistente, total ou parcial, de iniciar e/ou manter uma ereção durante o tempo suficiente para a prática de uma relação sexual satisfatória, desde o coito até a ejaculação (CAVALVANTI & CAVALCANTI, 1996 ).

Milhões de homens no mundo passam por essa situação, fato demonstrado pelas estatísticas que evidenciam que a Disfunção Erétil incide em até 5% dos homens de até 40 anos, em até 27% daqueles que estão na faixa dos 60 anos e em 55% dos homens acima de 70 anos. Em tese, a maioria dos homens sexualmente ativos já enfrentou algum tipo de Disfunção Erétil ao menos uma vez na vida e sabe-se que 70% desses casos têm origem emocional ou psicológica.

De todas as disfunções sexuais masculinas, certamente, a mais dramática é a Disfunção Erétil, devido ao fato de que, culturalmente, a masculinidade está muito ligada a genitalidade, sendo o pênis um símbolo de poder, dominação e virilidade, que deve “funcionar” sempre de maneira satisfatória.

Desse modo, comumente, a Disfunção Erétil causa um efeito arrasador sobre a autoestima masculina e, em alguns casos, torna-se determinante para conflitos conjugais e casos de desespero, podendo até mesmo evoluir para um quadro de grave depressão.

Quando apresenta um fracasso ocasional, o homem começa a sentir o “temor de desempenho”, que é a expectativa de um novo insucesso. Essa situação gera muita ansiedade e inibe o reflexo erétil. E é, exatamente, o medo de não ter a ereção que faz com que o homem não a tenha, fato que pode motivar um processo disfuncional com falhas eretivas permanentes.

Leia também: Viagra Natural 

Ademais, também é comum a situação em que o homem só consegue ter ereções para se masturbar, ou pela manhã, mas não consegue ter ou manter uma ereção satisfatória para a penetração e para manter o coito (homo ou heterossexual).

Conforme supracitado, em geral, as razões que acarretam a Disfunção Erétil são exclusivamente emocionais ou psicológicas e nada têm a ver com a função reprodutora.

O uso do termo “impotência” é muito comum e, além de ser consagrado no vocabulário coloquial, às vezes é empregado até mesmo pela literatura médica. Entretanto, a utilização desse termo, como sinônimo de Disfunção Erétil, é inadequada, uma vez que a palavra impotência não se refere apenas à Disfunção Erétil, mas a todas as situações mal sucedidas do desempenho humano, sendo de cunho sexual ou não.

Tratamento da Disfunção Erétil em BH (ou
Tratamento da impotência sexual / dificuldade de ereção)
A maioria dos casos apresentam três sintomas principais a serem bem trabalhados: a insegurança, a ansiedade e os problemas conjugais. Mas, inicialmente, é essencial diagnosticar as causas e a evolução da Disfunção Erétil.

Para tal, o(a) profissional utiliza questionários e entrevistas próprias da sexologia e, de acordo com os resultados, sugere o programa psicoterapêutico ideal.

A Neuropsicologia aplicada e a Psicanálise, por intermédio da força de suas teorias, oferecem maneiras de processar as intervenções terapêuticas com eficiência e efetividade.

Mas, a técnica escolhida é apenas um instrumento nas mãos do(a) terapeuta, pois, segundo Cavalcanti & Cavalcanti (1996), o mais importante é a escolha de um(a) profissional capaz de manejar a técnica de maneira adequada.

Como a adrenalina bloqueia uma ereção?

A adrenalina desencadeia: 
a) inibir a atividade do músculo liso do corpo cavernoso, resultando em défice eréctil, especialmente na fase de manutenção, cujas epifenómeno clínica é o chamado “vazamento venoso” funcional, de modo frequente, em jovens de ansiedade; 
b) a manutenção de um alto tom muscular (que reduz a percepção das sensações de prazer cutâneo por meio de uma competição entre as diferentes mensagens nervosas ao nível da medula espinhal); 
c) a prevalência de inibidores de mensagens cortico-medular que reduzem o influxo de sensações agradáveis para o córtex, com a consequente redução da percepção de prazer e intensidade de orgasmo;
d) a redução do desejo, tanto na dimensão motriz quanto cognitiva (devido ao aumento de profecias negativas auto-validadas, à queda da autoestima e à autoconfiança que acompanham repetidos fracassos). 
Uma ansiedade de alto desempenho e / ou atitudes fóbicas em relação ao coito podem simular um dano vascular orgânico, pois reduzem a competência oclusiva do tecido erétil: o resultado pode ser um teste de papaverina falso-negativo. 
conselho prático é realizar o teste em uma atmosfera sexualmente positiva, melhor em uma posição ereta e com uma estimulação sexual subseqüente. A pré-medicação leve com medicamentos ansiolíticos pode ajudar a reduzir o risco de ansiedade aguda falso-negativa.
Tenha ereções como nunca, conheça o estimulantes Gandrox XL.

Como o estresse crônico pode danificar a ereção?

O estresse crônico é a terceira causa psicogênica ou funcional do déficit erétil. Compromisso excessivo com o trabalho, dieta prolongada ou prolongada, doenças crônicas ou conflitos conjugais persistentes são causas generalizadas de estresse crônico. 
Para ele segue hiperativação das vias neuroendócrinas relacionadas com a sobrevivência individual, em particular, com um aumento de opioides endógenos, nossos analgésicos internos que também suprimem o desejo, e uma depressão das vias neuroendócrinas relacionadas ao comportamento sexual e reprodução. 
Em particular, os valores de LH persistentemente abaixo de 3mIU / ml representariam um indicador bioquímico confiável de uma situação de estresse crônico.
Em segundo lugar, para a queda do LH, os valores de testosterona total e livre também podem resultar em limites mais baixos, como regra, com as consequentes implicações no desejo. 
Diversos fatores funcionais podem: 
a) simular danos orgânicos; 
b) piorar o diagnóstico de dano orgânico já existente; 
c) deslocar temporariamente a agulha da balança ereta para a função ou o déficit. A reversibilidade potencial desses fatores é o ponto-chave a ser considerado.

As drogas vasoativas podem ajudar a ereção mesmo nesses casos?

Sim. Drogas tais como sildenafil (Viagra), tadalafil (Cialis) e vardenafil (Levitra) pode ajudar a restaurar a ereção em 56-83% dos casos, de acordo com as causas que levaram ao problema ereção.

Quais outras drogas podem ser úteis em déficits de ereção?

As drogas vasoativas são as grandes amigas da ereção, porque são eficazes, seguras, administráveis. 
Antianxiety drogas (“ansiolíticos”) e antidepressivos são indicados nos casos em que estes aspectos são dominantes. 
Drogas para baixar a prolactina (“hipoprolactinêmica”) são indicadas nas formas com hiperprolactinemia documentada. A prolactina elevada inibe o desejo e, portanto, também a ereção.
A indicação para farmacoposia (isto é ereção induzida por injeção em corpos cavernosos do pênis de substâncias vasoativas, tais como a papaverina, as prostaglandinas, ceritine …) é prescrito urologista, também para escolher doses e tempos ótimos, em caso de ausência de resposta a drogas vasoativas por via oral; isso pode acontecer, por exemplo, em déficits de ereção neurológica e após cirurgia radical para câncer de próstata (4). 
Aconselhamento sexológico é frequentemente útil para ajudar pacientes e parceiros a aproveitar melhor as possibilidades terapêuticas oferecidas por esta solução.

Classificação de distúrbios sexuais

Classificação de distúrbios sexuais

Em nossa vida cotidiana, podemos classificar os problemas sexuais tanto para o homem como para a mulher em 4 grupos:

  1. Transtornos do desejo sexual , é reconhecido quando o indivíduo ou seu parceiro não está interessado em sexo ou quando um dos dois parceiros tem uma diminuição no desejo sexual em relação ao seu hábito. Note que o declínio no desejo sexual pode aumentar com a idade.
  2. Distúrbios da estimulação sexual , quando o indivíduo não sente uma resposta sexual ou quando ele não consegue manter uma excitação apesar da estimulação sexual.
  3. Distúrbios do orgasmo , quando o indivíduo não consegue um orgasmo.
  4. Distúrbios da dor sexual , quando o indivíduo sente dor durante ou após a penetração.

Os distúrbios sexuais são um problema real na vida de um casal. No entanto, é importante comunicar uns aos outros se os devem prevenir ou tratar. De fato, os distúrbios sexuais podem ser tratados quando as causas são determinadas.

Transtornos sexuais comuns em homens e mulheres

Seja de origem psicológica ou fisiológica, os distúrbios sexuais podem ser tratados. As manifestações podem variar de acordo com o sexo do indivíduo, mas esses distúrbios sexuais podem ser encontrar o antigo hábito sexual e, principalmente, satisfazer e compartilhar o prazer.

Em humanos

Os principais distúrbios sexuais que afetam muitos homens são disfunção erétil, priapismo, distúrbios da ejaculação ( ejaculação precoce ou retardada) , anorgasmia e baixa libido.

Disfunção erétil ou impotência

A disfunção erétil nos homens é a incapacidade temporária ou permanente de manter uma ereção satisfatória para a relação sexual . No entanto, é útil diferenciar a impotência sexual de colapsos ocasionais . Estes são pontuais e principalmente devido ao estresse, fadiga, álcool, tabaco ou obesidade.

Pode-se falar em impotência apenas se o problema persistir por um período de mais de 6 meses. As crises sexuais crônicas são uma desordem sexual cada vez mais comum entre os homens, com cerca de 30% em seus 40 anos.

Veja também se o destruidor da ejaculação precoce funciona.

Sintomas

Impotência ou disfunção erétil é manifestada pela incapacidade de manter o pênis ereto.

Se a falta de rigidez do pênis para a relação sexual se estender por um longo período além dos 6 meses, ele fala de impotência e não de mais avarias ocasionais.

Observe que a ereção espontânea de manhã ou à noite é a manifestação de um bom funcionamento do sistema mecânico e hormonal. Sua ausência já pode indicar um problema erétil.

Causa Prováveis

Existem duas causas principais de disfunção erétil: causas psicológicas e causas fisiológicas.

Falamos de causas psicológicas quando o indivíduo apresenta um bom funcionamento erétil quando seus pensamentos caem no inconsciente, isto é, durante o sono.

A capacidade física do indivíduo de contrair uma ereção está em boas condições, mas a ausência de estímulos nervosos no cérebro continua sendo um fator de bloqueio. Na maioria dos casos, essa ausência é causada por um problema emocional.

causas fisiológicas são principalmente relacionadas com doenças cardiovasculares: (aterosclerose), hipertensão, diabetes, trauma da pelve, deformação peniana, tumores, Parkinson, Alzheimer, esclerose múltipla, ou perturbações hormonais.

Tratamentos Possíveis

A impotência pode ser completamente tratada até desaparecer, graças ao desenvolvimento de muitos tratamentos cada vez mais eficazes.

A primeira solução é estimular o desejo sexual novamente se a causa for psicológica. O tratamento médico é então introduzido para permitir que os pacientes recuperem uma ereção para uma relação sexual satisfatória.

O Sildenafil continua a ser a droga mais popular contra a impotência com os comprimidos Viagra , Levitra e Cialis .

Mas existem atualmente muitas outras drogas ainda na forma de pílulas e fosfodiesterase tipo 5, como Vardenafil, Tadalfil e Spedra .

Outras soluções também são oferecidas a pacientes depois de tomar o medicamento para um melhor resultado: injecções intra-cavernosa ( Carverject , Edex), creme de vácuo ou bomba de erecção ( Vitaros ), implante peniano e tratamento psicológico da disfunção eréctil.

Remédio para emagrecer

Remédio para emagrecer que não oferece risco ao coração é aprovado no Brasil

Estudo divulgado por revista científica mostra que medicamento não aumenta o risco de alteração cardiovascular

Dos remédios para emagrecer aprovados no Brasil, a lorcaserina (conhecida sob o nome comercial Belviq) recebeu um ponto positivo importante da comunidade médica. Em um estudo divulgado no fim de agosto pela revista científica The New England Journal of Medicine, o medicamento provou não aumentar o risco de qualquer alteração cardiovascular — ao contrário de outros medicamentos, como a fenfluramina e a dextrofenfluramina, já afastados do mercado.

Esses dois últimos, comprovadamente, aumentavam o risco de problemas nas válvulas do coração, desencadeando cardiopatias importantes. O mesmo não foi verificado no uso da lorcaserina durante o estudo em 12 mil pacientes, durante um período de três anos e três meses. Isso não significa, porém, que o medicamento traz qualquer benefício cardíaco, e a pesquisa deixa clara essa diferença.

Leia também: Kifina comprar

Risco cardiovascular
“Normalmente o paciente obeso tem algum risco de doença cardiovascular. O médico que prescreve o remédio para a obesidade parte desse cenário, de uma diabetes ou hipertensão, por exemplo. O paciente faz o acompanhamento com o médico não para o controle do medicamento, porque as drogas com malefícios cardiovasculares foram suspensas do mercado, mas pelo risco geral da pessoa”, explica Rodrigo Cerci, médico cardiologista e diretor científico da Sociedade Paranaense de Cardiologia (SPC).

Embora o Belviq tenha sido liberado pela Anvisa em dezembro de 2016, o medicamento ainda não está sendo comercializado no país, porque ainda está em discussão a precificação do mesmo.

Leia mais: Neta confessa armação e dedura assassinos da avó

A demora, de acordo com Rosana Bento Radominski, médica endocrinologista, ex-presidente da Associação Brasileira de Estudos da Obesidade, acaba atrapalhando os pacientes que poderiam se beneficiar com a opção.

“O paciente acaba importando essa medicação de locais não muito confiáveis. Ou solicitam a manipulação, indicada por médicos também não muito confiáveis. Mesmo achando que a lorcaserina seja boa, eu não manipulo. Espero o laboratório produzir, porque eles têm a experiência dos estudos clínicos, de longo prazo, muito bem controlados, para saber inclusive dos efeitos adversos”, explica a especialista, que também é membro do grupo de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e professora da pós-graduação da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Efeitos colaterais dos emagrecedores
Dos medicamentos emagrecedores liberados atualmente pela Anvisa, boa parte tem efeitos pontuais e controláveis pelo paciente, de acordo com Radominski. “Os que existem hoje, o máximo que fazem é aumentar a frequência cardíaca e a pressão arterial, mas quando bem indicados, não levam a problemas maiores”, explica.

Ainda assim, de forma geral, os efeitos mais comumente relacionados a este tipo de medicamento são náusea, vômito, cefaleia, desidratação, sensação de hipoglicemia (redução nas taxas de açúcar no sangue), tontura e boca seca.

Pressão arterial é uma das principais afetadas por medicamentos com fins de emagrecimento. Foto: Visual Hunt

“Por isso é importante que a pessoa nunca compre o medicamento sem orientação médica. Normalmente, começa a medicação e o médico titula a dose. Na maior parte das vezes, estabiliza bem a situação”, explica a especialista.

Da lorcaserina, dores de cabeça, ou cefaleia, são os sintomas mais comuns, mas também pode vir associado com náusea. “A indicação do medicamento depende do tipo de alimentação, qualidade e estilo de vida do paciente. Não são todos os medicamentos cabem a todo mundo”, reforça Radominski.

Remédio milagroso?
Mas atenção, embora possa parecer muito benéfica, a lorcaserina não é o medicamento milagroso da obesidade. No mesmo estudo, os pesquisadores reforçam que os resultados de emagrecimento com essa medicação não foi tão significativa.

“Os pacientes tinham em média 102 kg e problemas importantes, como diabetes. Em três anos, quem usou o medicamento reduziu, em média, 4 kg. Quem não usou, reduziu 2 kg. A diferença, então, não é grande, não é a solução dos problemas. Pode ser uma medicação coadjuvante, mas está longe de ser a solução, que ainda está na mudança de hábitos de vida”, alerta Rodrigo Cerci, médico cardiologista e diretor científico da SPC. 5% do peso, em geral, consegue ser perdido sem qualquer auxílio de medicamentos, apenas com mudanças no estilo de vida (alimentação + exercícios físicos).

Foto: Visual Hunt

Para a endocrinologista Rosana Radominski, é fácil medir a eficácia do medicamento. “Se em três meses, mesmo com a medicação, o paciente não perder esses 5%, o remédio não está fazendo efeito e precisa ser trocado ou acrescentado. Geralmente, em um mês a pessoa já consegue ter uma ideia se faz efeito ou não”, diz a endocrinologista.

1 kg por semana, em média, é estimativa de perda de peso com o uso dos medicamentos emagrecedores. Esse valor varia, no entanto, conforme o paciente, seja para mais ou para menos.

Sucos para Emagrecer e turbinar sua dieta

Sucos para Emagrecer e turbinar sua dieta

Os Sucos para Emagrecer, sucos verdes ou até sucos detox, são boas opções para quem deseja emagrecer rápido. Há, efetivamente, alguns sucos que auxiliam no processamento de emagrecimento, uma vez que combinam propriedades interessantes.

Se por um lado é fato que, sempre que o assunto é emagrecimento, não há milagres; é verdade também que há alimentos que podem ser bons aliados na redução de peso!

Ingredientes como gengibre, abacaxi e pimenta podem ser grandes aliados no Emagrecimento.

Como Emagrecer com Sucos

Os Sucos para Emagrecer devem ser consumidos diariamente, podem substituir pequenos lanches ou mesmo complementar um café-da-manhã saudável.

A ideia é acrescentar a estes sucos ingredientes que vão te ajudar a “Queimar” mais calorias.

Sucos que levam gengibre são boa opções. O gengibre é uma raiz que, entre outras vantagens, possui ação termogênica, ou seja, aumenta a temperatura do corpo, acelerando o metabolismo. O mesmo vale para a pimenta, que igualmente pode ser incluída em Sucos para Emagrecer.

Porém estes são somente exemplos de alimentos que oferecem benefícios à saúde! Sucos com abacaxi, por exemplo, possuem resultado diurético; sucos com couve auxiliam a desintoxicar o corpo, além de serem ricos em fibras etc.

Vale advertir que tais sucos não podem ser adoçados com açúcar, do contrário, as características emagrecedoras com certeza não valerão! A orientação é evitar inclusive os adoçantes, sentindo o gosto natural dos alimentos, incluindo constantemente uma fruta que dê um gosto mais docinho ao suco, ou usando água de coco, por exemplo.

Leia Também: Kifina

Como Emagrecer Rápido → Seu Guia Completo
Sucos para Emagrecer

Leia também: Dieta de 21 dias anvisa

Nos fizemos uma seleção com vários Sucos para Emagrecer que vão te permitir saciedade e fazer a sua Dieta ser bem mais divertida.

Inspire-se com as receitas abaixo e faça deliciosos Sucos Emagrecedores em sua casa!

Suco de abacaxi, hortelã e chá verde

Trata-se de um suco drenante que auxilia a desinchar o corpo. O chá verde dispensa apresentações no momento em que o assunto é emagrecimento e combate o acúmulo de líquidos, e além dele você usará abacaxi, hortelã e água.

Ingredientes:

2 colheres (sopa) chá verde;
3 folhas hortelã;
1 fatia abacaxi;
1 copo água;
Preparo:

Aqueça a água e coloque o chá dentro;
Deixe 2 minutos e coe;
Depois de gelar, bata com o abacaxi e a hortelã.
Suco de manga com gengibre

A combinação de manga com gengibre combina bastante ! O suco sacia, além de ficar agradável. Além desses ingredientes principais, você usará laranja, canela em pó e, se preciso, mel para adoçar.

Ingredientes:

1 manga grande e madura (ou o equivalente a 2 xícaras de fruta picada, se escolher manga espada por exemplo);
Suco de 3 laranjas;
1 colher de sopa generosa de gengibre fresco ralado;
1 colher de chá rasa de canela em pó;
Se necessário, mel para adoçar.
Preparo:

Em um liquidificador, coloque a manga picada, o suco das laranjas, o gengibre e a canela;
Bata até que o suco esteja na consistência desejada;
Se gostar do suco um pouco mais líquido, pode acrescentar mais suco de laranja ou mesmo água;
Se não estiver doce o suficiente, coloque um pouco de mel;
Passe o suco por uma peneira para retirar os fiapinhos de manga e gengibre e… tá pronto!
Suco de abacaxi, couve, gengibre e hortelã

Um suco detox, que reúne ingredientes poderosos! Leva abacaxi, que é diurético e anti-inflamatório; couve, que auxilia a proporcionar uma limpeza no corpo e é rica em fibras; além de gengibre, que é anti-inflamatório e possui efeito termogênico.

Ingredientes:

1/2 abacaxi médio;
600 ml de água;
3 folhas de couve manteiga;
Folhas hortelã (a gosto);
Gengibre;
Açúcar e adoçante.
Preparo:

Coloque no liquidificador o abacaxi em cubos, a couve, a água;
Bata bem esses ingredientes e coloque a hortelã e um pequeno pedaço de gengibre aos poucos, liquidificando e experimentando para que atinja o sabor ideal para o seu paladar;
Se necessário adicione açúcar, você pode coar, mas lembre que com isso você descartará as fibras;
Sirva gelado.
Limonada detox

Uma boa escolha entre os Sucos para Emagrecer, que ainda ajudam a desintoxicar. Você usará alface ou talos de aipo, folhas de couve, maçã, limão e gengibre fresco. A dica é consumir o suco 30 minutos antes das refeições.

Ingredientes:

1 alface ou talos de aipo
2 a 3 folhas de couve
1 maça
1 limão
2 cm de gengibre fresco (opcional).
Preparo:

Processe os ingredientes em uma centrífuga/liquidificador;
Beba em seguida;
Consumir 30 minutos antes das refeições;
Usar por 2 a 3 meses.
Suco detox de melancia

Além de saudável, este Suco para Emagrecer, fica uma delícia e é super-refrescante, ótima opção para os dias quentes! Você necessitará de melancia, água, gengibre, linhaça dourada, couve, de um liquidificador ou mixer!

Ingredientes:

3 fatias de melancia sem caroço;
1 colher de chá de linhaça triturada;
1 colher de chá de gengibre ralado.
Preparo:

Bata tudo no liquidificador com gelo;
Beba em seguida.
Agora você já sabe que há, sim, Sucos para Emagrecer que podem ser grandes aliados no emagrecimento. O ideal é consumi-los sem adoçar e, é evidente, sem exageros!

Além do mais, eles precisam ser incluídos em uma Dieta Saudável para, dessa maneira, poderem proporcionar resultados de fato eficazes!

Colágeno Em Pó para a pele: como e por que usufruir de seus benefícios

Colágeno Em Pó para a pele: como e por que usufruir de seus benefícios

Ele é responsável por garantir firmeza para pele, unhas, cabelos, cartilagem e tendões
Atualmente, muito se fala sobre a importância do consumo de colágeno, especialmente a partir dos 30 anos. Mas, você sabe exatamente o que é o colágeno e quais são suas funções? Quando e por que é indicada a suplementação?

Primeiramente, é preciso entender que o colágeno compõe a maioria dos tecidos e órgãos do corpo humano. Está presente na pele, cartilagens, ossos e tecido conjuntivo. Ou seja, é produzido naturalmente pelo corpo, mas também pode ser encontrado em alimentos como carne e gelatina, por exemplo, além de em cremes hidratantes e nos (hoje, famosos) suplementos alimentares (em cápsulas, em pó, entre outras formas).

Bruno Vargas, dermatologista graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e sócio-proprietário da Clínica Inovatto (em Belo Horizonte), ressalta que na pele, o colágeno é responsável por conferir resistência e firmeza.

“Com o envelhecimento, a pele vai perdendo a capacidade de sintetizar as fibras colágenas, o que leva à perda de sustentação do tecido e ao aspecto envelhecido da mesma. O processo do envelhecimento da pele é acelerado pela degradação do colágeno e pela ação direta da radiação ultravioleta do sol e das fontes artificiais”, explica o dermatologista.

Neste sentido, com o passar dos anos, torna-se importante a reposição de colágeno, tanto através de alimentos, como (em muitos casos) a partir de suplementos alimentares.

Leia também: 10 alimentos anti-idade que você deve incluir na sua dieta

Benefícios do colágeno
Lilian Silva de Andrade, nutricionista da Nutri Factory, destaca que o colágeno tem inúmeros benefícios, dentre eles: a função de contribuir com a resistência e estrutura para todo o organismo, além de proporcionar elasticidade aos tecidos, dando firmeza para pele, unhas, cabelos, cartilagem e tendões.

A nutricionista explica que, em cada parte do corpo, o colágeno irá atuar de uma maneira:

Nos ossos, permite a firmeza.
Nas articulações, ele atua como lubrificante dando a elasticidade articular.
Nos tendões, dá rigidez e força.
Atua no fortalecimento dos ossos, articulações, unhas e cabelos.
Atua na melhora da elasticidade da pele, contribuindo para a melhora da aparência da celulite.
Contribui ainda para a perda de peso, pois promove maior saciedade.
Por tudo isso, o colágeno é visto como um grande aliado da beleza, combatendo, inclusive, o envelhecimento precoce.

Quando a reposição de colágeno é indicada?

FOTO: GETTY IMAGES

É importante ressaltar que, a partir dos 30 anos de idade, ocorre uma redução gradual na produção de colágeno pelo corpo humano. “Nota-se que, a partir dessa idade, os músculos ficam mais flácidos, a densidade dos ossos é reduzida e as articulações e os ligamentos perdem elasticidade e força motora”, comenta Lilian.

Já aos 50 anos, a produção diminui drasticamente e chega apenas a 35% da sua produção total. “Vale destacar ainda que as mulheres sofrem um pouco mais com essa perda na produção de colágeno, devido à produção diminuída do hormônio estrogênio na menopausa. Então se faz necessária uma alimentação saudável com bastante fontes de proteínas, além de exercícios físicos e, muitas vezes, a suplementação, visando assim estimular a produção do colágeno no nosso corpo”, diz a nutricionista.

Leia também: 11 dicas simples para parecer mais jovem

O dermatologista Vargas destaca que não existe regra, mas, de um modo geral: pessoas que possuem uma alimentação deficitária do ponto de vista proteico, atletas e pessoas muito expostas a agentes que aceleram o processo de degradação das fibras colágenas (como o sol e o fumo) são beneficiadas com a suplementação do colágeno hidrolisado.

Alimentos que são fonte de colágeno
Mas, afinal, como contar com uma dieta que contribua para a reposição de colágeno?

Lilian explica que os alimentos mais ricos em colágeno são aqueles de origem animal, como carnes vermelhas ou brancas, e as gelatinas incolores (que possuem menos toxinas). Exemplos que a nutricionista destaca:

Carnes vermelhas;
Peixes;
Ovos;
Leites e derivados como iogurtes (de preferência os menos gordurosos);
Queijos brancos (cottage);
Frango sem a pele.
“Uma dica superimportante: o colágeno irá atuar de forma mais efetiva e eficaz quando associado a uma alimentação saudável, ou seja, é indispensável o consumo de alimentos que sejam ricos em vitaminas e minerais como vitamina C e vitamina E, cobre, selênio, zinco e silício”, acrescenta a nutricionista.

Como repor colágeno no caso de vegetarianos?

FOTO: GETTY IMAGES

No caso de pessoas vegetarianas, é extremamente importante realizar um acompanhamento com um profissional da saúde, para que uma dieta equilibrada e saudável seja prescrita. “Uma das formas mais eficazes para se obter o colágeno nesses casos é uma dieta rica em proteínas vegetais e alimentos fontes de vitamina C (que auxiliará na melhor absorção desses nutrientes)”, diz Lilian.

Leia também: 14 truques de beleza da vovó que ainda funcionam

As melhores fontes vegetais, de acordo com a nutricionista, são:

Cereais (milho, trigo, aveia, arroz, quinua etc.)
Leguminosas (lentilha, feijões, soja, grão de bico, ervilha etc.)
“O primeiro passo para uma boa produção de colágeno é manter uma alimentação bastante diversificada, rica em alimentos de fonte integral, selênio (castanha do Brasil), zinco (semente de girassol), vitamina C ( laranja, acerola) e vitamina E (amêndoas)”, acrescenta Lilian.

Suplementação com colágeno

Leia também: Colágeno em pó

Atualmente, a suplementação de colágeno apresenta-se de várias formas: em pó, balas, chocolates, shakes, gelatinas, chás, iogurtes e cápsulas. “Vale lembrar que a forma mais eficaz e eficiente deve ser sempre orientada por um profissional habilitado, e respeitando sempre a necessidade de cada indivíduo”, diz Lilian.

“Estudos comprovam que a forma em pó hidrolisada é a mais eficaz (cerca de 90% é absorvida), isso facilita a manter uma pele firme, devido ao processo de hidrólise. Uma pequena quantidade do produto contém uma maior concentração de colágeno puro e ele será totalmente absorvido pelo organismo. Uma das formas menos eficientes é a gelatina, que contém baixa concentração de proteína, além disso, é rica em açúcares, corantes e aditivos químicos”, destaca a nutricionista.

Quando o consumo é em cápsulas, segundo Lilian, recomenda-se tomar uma ou duas cápsulas por dia, juntamente com um copo de água.

Leia também: 24 receitas de suco verde para adicionar ao seu cardápio

Um detalhe é que: por mais que existam alguns cosméticos que contem com colágeno em suas formulações (ou seja, para uso tópico), são as versões orais as mais eficientes, por agirem de forma progressiva na camada mais profunda da pele.

Remédios para dormir podem ajudar a memória, diz pesquisa

Remédios para dormir podem ajudar a memória, diz pesquisa

Uma pesquisa da Universidade da Califórnia aponta que remédios usados para tratar distúrbios do sono podem ajudar a melhorar a memória. Um time de pesquisadores identificou que drogas à base de zolpidem melhoram o mecanismo que ajuda o cérebro a construir recordações. Remédio para insônia

Segundo o estudo, a ideia não é apenas indicar o uso de remédios, cuja prescrição é contestada em outros estudos (incluindo dados que mostram que pode afetar a memória), mas apontar caminhos para novas descobertas que poderiam ajudar pacientes que sofrem de demência, esquizofrenia e Alzheimer, por exemplo.

Pesquisas anteriores já haviam mostrado a relação entre o sono e a consolidação da memória, que acontece no hipocampo. E esse estudo aponta que o zolpidem melhora esse processo. “É a primeira vez que se mostra que é possível manipular o sono para melhorar a memória. Remédios para dormir podem ser ferramentas poderosas para ajustar o sono para tratar alguns problemas”, disse Sara Mednick, psicóloga da Universidade, ao jornal Daily Mail.

Colágeno – Conheça 8 benefícios poderosos

Colágeno – Conheça 8 benefícios poderosos

Você provavelmente já ouviu falar do colágeno: uma proteína famosa quando o assunto são os cabelos, a pele e as unhas, mas ele vai além disso.

É verdade, ele tem um papel importantíssimo no fortalecimento dos cabelos e unhas e na elasticidade da pele. O que você precisa saber é que os benefícios do colágeno são mais abundantes que estes. Descubra agora mesmo nessa postagem o que preparamos para você.

Conhecendo mais o melhor colágeno hidrolisado
O colágeno é a proteína mais abundante no organismo. Ele é o grande responsável pela firmeza e sustentação da pele, além de ter um papel fundamental na composição dos tendões e das cartilagens.

Para entender um pouco melhor o que ele é, coloque as mãos sobre sua orelha ou sobre a ponta do nariz. Percebeu como eles são maleáveis e resistentes ao mesmo tempo? Pois então, esse é o resultado do colágeno, que está muito presente nessas regiões. Acredite: essa estrutura é tão firme que pode resistir a mais tensões que um fio de aço.

Produzido naturalmente pelo organismo, ele tem uma grande tendência em diminuir com a idade, principalmente depois dos 30 anos. Se você vive esse período, já consegue perceber os sintomas de certa flacidez, concorda?

É uma proteína estrutural, portanto, sua principal função é compor a pele, ossos e cartilagens, dando sustentação ao corpo. Mas não é só isso! Ele também tem funções, que você vai conhecer a seguir.

Benefícios do colágeno
Possui diversos benefícios para o seu organismo, depois de ler essa postagem você vai querer se assegurar que nada comprometa a produção dessa proteína pelo seu corpo. Entre as principais vantagens estão:

Responsabilidade por melhorar a firmeza e elasticidade da pele;
Fornecimento de sustentação estrutural para dentes, ossos, vasos, pele e até mesmo para alguns órgãos;
Rejuvenescimento da pele, ou seja, trabalha prevenindo o envelhecimento das células;
Proteção das articulações;
Ajuda na prevenção do surgimento das temidas celulites e estrias;
Melhora e potencializa a cicatrização;
Promove a renovação das células;
Prevenção contra a osteoporose, protegendo os ossos.
O consumo como suplementação
Ele é naturalmente produzido pelo organismo, mas depois dos 30 anos, como falamos, a síntese ocorre de forma mais lenta, transparecendo um pouco a deficiência deste elemento. Nesse caso, você pode investir em uma alimentação mais rica para estimular a produção natural do seu corpo ou optar por uma suplementação.

Os suplementos podem ser encontrados de diversas formas, como em capsulas, em pó, líquido e até mesmo em chás e sucos.

Portanto, você não terá dificuldade em encontrar a opção que considerar ideal para sua rotina. Além disso, você já pode consumir o colágeno hidrolisado, facilitando a absorção do seu organismo.

As diferenças entre colágeno e colágeno hidrolisado
O colágeno hidrolisado passa por um processo de hidrólise, como você pode deduzir pelo próprio nome. Isso faz com que ele seja quebrado em partículas menores que as de colágeno normal, facilitando a absorção pelo corpo. Essa opção é muito usada na suplementação, por exemplo.

Além disso, o colágeno hidrolisado é composto por aminoácidos, fornecendo a glicina e prolina para o corpo. Isso faz com que o corpo consiga trabalhar na regeneração e estabilidade das cartilagens.

Agora que você já conhece os diversos benefícios do colágeno, essa proteína maravilhosa, não vai querer que os índices diminuam no seu organismo, não é mesmo?

Portanto, fique de olho e mantenha-se sempre saudável!

Gostou? Compre seu colágeno em nossa loja!

Bom treino!

Há um novo tratamento para a impotência masculina e que torna pênis maior

Há um novo tratamento para a impotência masculina e que torna pênis maior

A nova droga revolucionária injetável promete curar milhões de homens que sofrem de disfunção erétil, podendo levar à extinção do Viagra.

08:00 – 14/05/18 POR LILIANA LOPES MONTEIRO

LIFESTYLE HOMENS

Um grupo de cientistas dinamarqueses descobriu uma injeção capaz de reverter a impotência e até de tornar o pênis maior.

Os investigadores garantem que injetar 20 milhões de células estaminais na base do pênis revigora os nervos daquele órgão, tornando assim possível a ereção. Tratamento para impotência

Originalmente a pesquisa que levou a tal descoberta terá sido realizada no âmbito da procura de soluções e de tratamentos para o cancro da próstata.

Operações cirúrgicas para remoção de glândulas da próstata podem provocar degeneração dos nervos e dos vasos sanguíneos no pênis, reduzindo-o.

A terapia envolve remover meio litro de células gordas do abdômen. Estas são depois colocadas a centrifugar, processo que leva à separação das células estaminais, que são de seguida injetadas no órgão peniano.

Os cientistas garantem que já trataram com sucesso oito homens, durante um ensaio clínico inicial.

O professor Soren Sheikh, diretor do Centro Dinamarquês de Medicina Regenerativa, disse: “As injeções com células estaminais podem restaurar todas as funções do pênis”.

“Estes ensaios são promissores, mas ainda temos um longo caminho pela frente”, acrescentou.

Estima-se que só em Portugal, a disfunção erétil afete cerca de 13% (500.000) dos homens. Todavia, a maioria dos casos, cerca de 90%, é de facto tratável.